Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2010

Mais um na multidão

Tem dias que fico procurando o que ouvir, nada parece me convencer, nem mesmo aquelas músicas que eu já tenho verdadeira paixão, mesmo assim, ponho músicas pra tocar, sempre...sem elas tudo se torna bem mais difícil. Certas vezes escuto de tudo, animadamente, até polca e merengue (rs). E tem outros dias que eu encontro aquela música, que eu já conhecia e até já gostava, mas aí ela toca aqui dentro de uma maneira diferente e eu não consigo mais parar de escutar.
Hoje foi o dia de "Mais um na multidão", uma pérola composta por Erasmo Carlos, Marisa Monte e Carlinhos Brown, que tem a letra linda, melodia gostosa, e cantada por Erasmo e Marisa Monte está simplesmente encantadora.

Meu tema de hoje, que embalou meu dia, meus pensamentos e minha solidão emergente:

Mais um na multidão
Guarde segredo que te quero
E conte só os seus pra mim
Faça de mim o seu brinquedo
Você é meu enredo
Vem pra cá

Te quero
Te espero
Não, não vai passar
O amor não falta estar

Você pensa mim
Eu penso em vo…

Sábado

Hoje foi tudo tão diferente...
vazio, angústia, inquietação, saudade
e disso tudo sabes!
E amanhã...
é mais um dia pra esta agonia vivenciar
mas também é mais um dia que separa esta fase de dor
do momento que ela deve findar.

Esperando por nós

Dê-me sua mão, caminhe sem medo, existe um lugar pra nós dois... onde a distância não é real, a verdade não causa pesar, nada nos limita, nada pode nos separar. Onde só temos um ao outro, mas isso nos completa de tal forma que a todo o resto nos podemos doar. Sinto, penso, falo: É o lugar que deveríamos estar!



(Há um lugar, também haverá de ter um momento...)

Muito além do horizonte...

Era um belo fim de tarde, ela sentou-se em um banco fixo de frente para o mar, via pessoas indo e vindo, umas alegres, outras pareciam confusas, como ela mesma...também ouvia uma música tocar, mas seus olhos fixaram-se ali, no horizonte, e foi como se todo o resto sumisse.
Sentiu-se só, tentou ver-se por dentro e não conseguia enxergar, talvez por haver obstrução da razão, ou por simplesmente não querer olhar... Abraçou a si mesma como se quisesse sentir alguém e deixou por alguns minutos a sua costumeira segurança e certa arrogância de lado, pensou: "Não, eu não me basto..." Logo respirou fundo e aquele ar que lhe enchia os pulmões parecia também renovar suas forças, varrer sua alma...e com os olhos fechados sentiu seu coração falar: "Sinta-se forte porque ninguém morre de amor, ou de tanto amar, pode-se morrer sim, mas pelo vazio que a falta de amor causa na vida de alguém e amor, ahhh, esse nunca lhe faltou...sinta-se forte porque dores passam, como alegrias passam tamb…

Permissão

Passam-se todos Tudo passa
Disso eu sei Isso eu vivi
Nem a mais louca paixão Nem o mais sublime amor Deixam de encerrar-se ou reconstruir-se, como em ciclos Permitindo que novas fases floresçam
Mas enquanto você souber permanecer, aqui vai estar...em mim, por nós.
Cultive-me!

Antes mesmo de pensar...

Ouvi a chuva cair, que gostoso, ela sempre me inspirou...mas tão logo senti que aquele som que tanto amo, não produziu em mim a tempestade de sempre. 
Não era na cabeça que chovia, nem lembranças boas, nem idéias românticas ou revolucionárias, nem sabor do velho ou desejo do novo...era o meu coração que apenas sentia...sem pensar, sentia.


Quimera

Conte-me que eu sonhei
Com um olhar encantado Um carinho enternecedor Com palavras de amor

Tudo isso atingiu-me de tão longe
Já não posso remediar Tão perto te senti
Nem a mim posso explicar


Fale-me que não vivi Assim seria mais fácil acreditar Que não tive, que não tenho Tudo que podes me dar

Separa-me do que é improvável, leve-me ao que for possível...

Teimosia

Não quero proteção que cega Não vou me defender de mim E mesmo na iminência do choro Eu ainda prefiro cantar a singularidade de experimentar sentir...
Vales criados, vazios preenchidos Sobrepostos, indutivos Neste suposto equilíbrio caminho A avaliar o que possuo, o que quero, para que vivo...


E quem há de negar que é válido?

E ninguém me convence do contrário...

Um olhar que fala Palavras que emudecem, geram desejo de saber O que pensa, o que sente, o que quer dizer
A imagem que não seduz pela beleza mas pela grandeza do que consegue exprimir que ainda é uma pequena fração perto do que há dentro de si
Histórias que falam por si só Corações tocados, mentes incitadas A beleza do que se sente sendo falada de diversas formas, por diversas vidas...



Não, ninguém me falou...eu vivi!
E mesmo que eu só tivesse isto na vida, apenas esta bagagem incrível, já valeria a pena ter vindo a este mundo... 

Suscetível

Quero que siga meu perfume, que me deseje como aquilo que mais quer...que dance comigo, me beije devagar.
Que me ouça com atenção, que ria comigo e me entenda se eu chorar. 
Que se alegre com a minha alegria.
Que ame cada pedacinho meu.
Que nada no seu dia te ocupe mais que pensar em mim. Que queira saber quem sou e como sou de verdade, que eu possa te mostrar o que ninguém mais pode ver. E quero que tenha sempre mais de mim a conhecer...
Quero sua admiração e que me perdoe quando eu falhar, porque vou falhar.
Quero seu colo quando frágil estiver e que se entregue a mim como nunca soube, desvelado, sem medo.
Quero ser alcançada...sem precisar dizer, sem precisar pedir, e me faz tão bem saber que tudo o que tenho visto reflete de mim, mas vem de ti...

À minha medida

A minha melodiosa configuração desarmoniza todo e qualquer padrão, não me simplifica nada, embaraça.
Porque sou tudo ou nada, tenho extremos que ainda nem pude conhecer.
Ouço, danço, canto, leio e escrevo, gosto mesmo de deixar a alma falar...porque sou muito mais do que se pode ver, sou hoje assim, amanhã eu insisto em não ser, embora não fuja de mim.
Desalinho tudo, só pra depois encontrar um rumo pra cada coisa. 
Senti e acreditei veemente em coisas que hoje nem sei se existiram, porque o que se faz de mim é o que desejo fazer, sem depois, sem ver...
Faço tantas coisas e ainda consigo fazer a mim, ganho espaço interior a cada minuto.
Me alimento dos meus sonhos e tudo que tenho é o meu dia...e meus dias nascem em mim.  
Encanto meu eu e desaponto a regularidade, a disposição conveniente das coisas, de tudo.
Nunca fui tão indisposta a ser convencional, nunca foi tão bom ser eu...

Ser do tamanho do mundo (por outra mente, com outra voz)

Solta-se a paixão
O longe perto se torna
Perco a noção
Do tempo e do limite

Dizes querer conhecer… desejo de saber
Quando eu te queria sentir… ansiava ter
Ser do tamanho do mundo
Que é miúdo para o que tens para dar

Não existe limites onde não há limite
Noção de existência no que não existe
Nem tristeza para amar o improvável
Estou-me a apaixonar pelo virtual

Não esperes, vai! Encontra!
Sem pensar! Sem maneiras!
Sente! Não tentes entender!
Não! …não existem fronteiras.
Para se ser feliz!

(Criado por Santo&Pecador, de presente para Impulsiva)

Ser do tamanho do mundo

Se o mundo é gigante
maior ainda são suas possibilidades
as paixões soltas pelos ares
a diversidade de gente...


Se a tudo isso quero conhecer
pequena não posso ser
e nada me traz mais ânimo
que o desejo de saber

Saber dos limites
Do que há e o que não existe
Até onde se pode ficar triste
Se pode-se morrer de tanto amar 


Não vou esperar pra que me digam
até onde posso ir
Porque de tudo que sinto e vejo
o que mais quero entender
é se existe fronteira pra ser feliz!



Lindo presente

"Despertar as emoções de alguém é como ganhar um tesouro que se divide por dois." (Kenia Araújo)



Durante muito tempo esteve presente,
mas não me alcançava...
Certa noite,
um aroma de vinho barato no ar
me fez sentir um perfume
que tomou conta do meu ser e
De repente apareceu...
Seus olhos eram como o mar...
lindo, infinito, desconhecido,
distante, mas ficou fortemente
presente em minha mente.
Aqui estou a pensar em você.
você que me encanta ao surgir,
me alegra com um sorriso
e me aflige ao sair.
Pois saiba que em momento algum
foges do meu pensamento e
Se existe alguém carente
do Amor teu,
esse alguém sou Eu.

Contigo, de Ti

Madrugadas a fio estive comigo
Algumas sem brilho
Outras estreladas
E quando não esperava
Veio me encontrar
Eu que me perco em sonhos e idéias
E achou minha alma
Que de longe se mostra além de mim!


Instinto

Em meio à escuridão, procuramos a luz, como alguém em sufocamento procura o ar. E como é de fases toda vida que se preze, este meu momento tenta apagar os relâmpagos sempre existentes em mim...se já não pareço tão forte, é por tornar subliminal a enorme guerra interior que travo quando os flashes tentam se extinguir...
Quero ser forte, mas sem ser exemplo de força, e me dar o direito de certas vezes enfraquecer. E assim me refazer, pescando em águas claras o que há de melhor em mim, porque tendenciosamente, instintivamente, não me aceito assim...sem luz!

Voltei

Andei muitíssimo ocupada em viver, porque andava demasiado ocupada em sentir...claro, não quero dizer com isso que mudei minha forma intensa de seguir meu caminho, continuo no mesmo ritmo acelerado de experimentar a vida (viver e sentir), desta forma, não foi falta de inspiração que me manteve afastada daqui por uns dias!
Escrevia o tempo todo em minha mente, constatações, idéias acerca de tudo que me rodeava...uma mente inquieta e ávida por não somente viver, mas exprimir o cataclismo de pensamentos que se arrumavam à medida que eu seguia cada impulso, ou que os freava.
Aqui estou eu, ainda mergulhada nas sensações sempre trazidas por cada início de ano, expectativas ótimas, incógnitas, anseios...e escrevendo, sempre, porque de muitas coisas que faço, esta é uma das que me faz muito bem!!!!