Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

Selo Comentarista Excelente

Gente, fui pega verdadeiramente de surpresa pelo fofíssimo Daniel Maia Silveira do blog "No Passo do Mundo" - http://danielmaiasilveira.blogspot.com/ , que gentilmente me incluiu na sua lista de blogues que mereciam o Selo Comentarista Excelente (na postagem http://danielmaiasilveira.blogspot.com/2010/03/selo-comentarista-excelente.htm).

Daniel agradeço de coração! Ler e comentar você é super fácil, pois seu blog é inteligente e profundo, suas obras são incrivelmente belas.


Segundo ele "este selo tem a finalidade de homenagear os comentaristas que além da assiduidade dos comentários e do esmero com que são feitos, provocam-nos a reflexão, entusiasmo e empolgação para continuidade do nosso trabalho".
Bem, a regrinha básica é repassar o selo a outros blogues que tem a mesma referência para o "Impulsiva", missão aliás bem difícil (pois morro de medo de ser injusta e esquecer alguém), desta forma seguirei principalmente o critério de assiduidade, o que torna a…

O amor em mim

Hoje recuso veementemente o isolamento, pois o que me deixou triste não vai me aprisionar no silêncio da minha vivenda, nem no abismo do meu "eu"...hoje não.
Quero a cor de outros caminhos, nem precisam ser novos...vou refazer percursos, reviver antigos hábitos, sentir o sabor de coisas singelas, mas cheias de valor. Só pra fugir um pouco do que me domina...sou toda coração, não sei ser diferente. Neste meu sonho com flashes de pesadelo, a incoerência reina...mas...mesmo assim, não quero ter razão, não quero ter certeza, já não são as respostas que me movem. O que quero é simples: nós! Aceito o que é puro e claro, descomplico. O amor não nasce em vão e matá-lo é sempre opção de alguém. Em mim ele é sempre sobrevivente!

O ritmo da minha dança

Dancemos. Todas as danças são momentos de extrema conexão. Facilmente incorporam-se os passos aos sons...só é necessário sentir a música.  Se são movimentos previamente estabelecidos ou improvisados, não importa, a cadência dos corpos envolve a quem dança e a quem vê. Dançar é...beleza, leveza, prazer, encanto, expressão de sentimento. Danço, sozinha ou com um par...mas sempre em movimentos coordenados. De todas as danças que dancei, nenhuma deixei o ritmo descompassar.
Conforme a música sei dançar.
Mas a música não é qualquer uma, eu também tenho que tocar...






TECLA SAP: Descrevi o ritual da dança (que eu amo) pra proclamar que acompanho o ritmo que a vida certas vezes nos impõe, mas também o determino, até o limite da medida que me cabe. (24.03)

Ah, o amor...

Inebriada pela minha dor, que hoje também é física, ouvi um diálogo em um filme bobinho de sereias onde alguma garota dizia: "O amor é a única coisa que nos aproxima da magia"...claro que foi imediato pensar na frase, refletir sobre ela. Divagações mil, difíceis de condensar. Passado, presente e futuro, tudo pra tentar entender o que se passa...
O amor é mesmo mágico, são tantas as emoções flutuantes que vivemos ao amar...o que ainda me confunde é a dor inerente a este sentimento.
O amor tem que ter eco, encontrar abrigo, se assim não se faz, sofrer é inevitável. Há quem diga que se não houve simetria e se trouxe dor, não foi amor...
Não sei, só sei que teu olhar não tem mais o tom do desejo, a tua voz é terna demais para quem já declarou tão loucamente amar...
Suplantada por esta quase certeza, choro o outro lado do amor.

Já que não pude voar...

Subi as escadas, estava longe do mar...então precisava pelo menos ver o céu, pelo menos estar num lugar mais alto...a vista não era exatamente a que eu queria, mas ajudou. Aquela velha e conhecida vontade de voar, sem direção, sem pouso certo. Mas voar eu não pude...estava visivelmente atingida, cortaram-me as asas...
É por isso que volto pra cá...dou voltas e voltas, faço e deixo de fazer, mas é aqui que posso expressar pelo menos uma pequena parte de tudo que me inquieta, me entorpece...meus pesadelos, e também os sonhos.
Uma estranha (mas muito boa) sensação de que aqui posso despejar tudo e aliviar a dor, dividi-la, e quem sabe é isso mesmo.
Hoje ouvi de um sábio poeta que ele criou um mundo para ele e não saberia viver fora deste mundo. Não, não é alienação ou isolamento, é uma estratégia. Inteligente e sagaz. Também tenho meu universo particular, nele não estou imune a nada, mas estou, irremediavelmente, mergulhada no que acredito.

Teu presente

O que te darei de presente não cabe na imensidão do meu olhar não tem tamanho nem forma é maior que tudo que tenho pra dar
O que te darei de presente não vendo e nem posso comprar não há no mundo o que pague e é feliz quem consegue achar
O que te darei de presente darei com sorriso nos lábios com o frescor de quem sente o que é estar apaixonado
O que te darei de presente é também presente pra mim  porque foi você quem conquistou o melhor que posso sentir
O que te darei de presente  é como pétala em flor tem a delicadeza de quem entende todo o valor de um amor
O que presenteio a ti é muito mais que estes pobres versos é mais que consigo dizer é todo amor que cabe em mim.

Um dia de domingo...

Um amanhecer tarde, como quase sempre acontece aos domingos...mal meus olhos abrem e você já invade a minha cabeça, deixando uma sensação ambígua de preenchimento e saudade...então levo um bom tempo pensando em nós. Ainda na cama estico o corpo levemente, para fazê-lo crer que já foi suficiente o descanso...olho para os lados e se torna irresistível ver e sentir as almofadas, pouca luz, frio e edredon...mas de imediato vem a imagem da cama de casal onde falta o par, ahhh, pra que estender o tempo neste espaço vazio? Hoje não... Levanto na minha particular indolência de todas as manhãs e vou automaticamente para frente do espelho, onde viro, mexo, faço pose, me sinto...tenho uma conversa comigo e só naquele instante o dia começa pra mim...pois já tomei consciência do que sou e do que preciso! Então que venha o dia e o que ele pode proporcionar... No banho mais minutos comigo, um ritual de sensações que vão além de aromas, texturas, óleos e cuidados...sou eu, a água a descer pelo meu corp…

Tornado

Tornado do leste,
norte, ou nordeste?
Sei lá, só sei que
veio na minha direção
Soprando como uma brisa
leve, doce, suave
E de repente me lançou para o alto
Me deixando sem estrutura
Sem rastro, sem chão..
Mas nada disso foi pavoroso,
pelo contrário...
Me trouxe uma dose dupla
de adrenalina, energia, vida.
Mas e agora?
Como dominar essa força?
Sou tão pequeno diante dela...
Por isso tenho medo
Não de perder o tornado, mas que ele me perca,
pois ele faz parte de mim,
mas será que eu faço parte dele?
...tornado do leste, norte ou nordeste,
vem soprar sua brisa em minha face... Me elevar para o céu,
rodeando o meu corpo
aguçando meus sentidos
despertando o que há de mais belo em nós,
o amor...
Vem, pois você faz parte de mim
E eu quero ser parte de ti
Para nos tornarmos um só...
Um só corpo,
Um só desejo,
Um só sentimento,
somente um...vem?




(Se sou o seu tornado, és o vento que me torna possível e impulsiona meu caminho...)

-Aqui só são minhas as palavras que responderam a esta linda expressã…

O que dá o tom

O que me instiga não é só tua boca ou o teu beijo Não só teu corpo, tua cor, tua pele, teu gracejo É muito mais que teu cheiro, teu toque Que a tua virilidade de amar sem medo É algo além do teu sussuro, da tua louca vontade de me ter por inteiro Não, não é só você Mesmo sendo a perfeição que anseio O que dá mesmo o tom É a impetuosidade do meu desejo!
(E como é grande este desejo...)

Para sempre que desejares que amanheça em teu coração!

Quero encontrar-te logo ao amanhecer, porque sei que tu precisas alimentar-se do meu olhar, das minhas palavras...então assim poderei permanecer bem perto de ti durante todo o dia...e no dia seguinte, e no dia seguinte...
Ao percorreres estas letras será como ouvires a minha voz, será como sentires minhas mãos tocando teu rosto enquanto vejo-o mudar de expressão...

Hoje escrevo para abrandar teu coração e também ao meu...escrevo para dizer-lhe mais um bocado de palavras, as mesmas...ou outras, mas sempre todas regidas pelo amor que a ti dedico dia após dia.
Preciso escrever para que tu possas compreender coisas simples...que representas pra mim o que 
represento para ti, que tudo o que sentes é o que aqui dentro sou capaz de sentir com o mesmo pulsar, que a ti me guardo sem esforço, porque é só a ti que desejo. 

Escrevo para acreditares que circunstâncias não dissipam estes laços num estalar de dedos...eles permanecerão, por hoje, por amanhã e por mais um tempo que ainda nem conseguimos c…

Na companhia do amor...

Hoje vou escrever para que me entendas, sem mistérios nas entrelinhas, nem mesmo omissões, sem qualquer coisa que possa levar a outras interpretações, sem mensagens subliminares, nada pela metade... Hoje vou escrever para que não haja dúvidas sobre o amor que a ti guardei...e guardo, e que protejo até de mim. É sim, é de amor que falo todos os dias, é pelo amor que sinto que faço protestos pra chamar tua atenção, pra tentar dividir o que em mim transborda. Este amor que faz aflorar o meu melhor, mas também deixa escapar meu lado egoísta, a insegurança há tempos vencida, a impaciência adolescente já adormecida. Tenho pressa, tenho sede de ti! Te quero meu, apenas meu, não como posse, mas porque é preciso estar inteiro pra viver a magia e a plenitude do que habita em nossos corações...entenda. Me acostumei também com o teu melhor, nem conheço outra coisa além disso, porque me ofereceste toda beleza do teu ser desde o primeiro momento... Cala-te, pensa, sente...é o amor que tem me feito comp…

Versos inspirados de quem diz não ser poeta

Vá mulher!  Durma que daqui te imagino... Em traje de núpcias Coberta por véu Se sinto-te o cheiro que anseio convulso... Um pouco de ti é um pouco do céu!
Se são lindos versos é por conta da musa
Que bate e lateja dentro de mim
A tua beleza é tanta que abusa Deste pobre poeta será o fim! Me pedes um verso ou um poema
Que faço das letras coração
Meu sangue é a tinta da pena
E, sendo por ti não é em vão!
Há quem não faça um verso De amor uma linha sequer E eu que ando sempre disperso Sou versos pra ti! Mulher! Um poema te dei de presente Mas te peço que nunca o guarde Pois em mim trago sempre fluente Novos versos em chama que arde!
Aqueles outros versos que te fiz
Só fugiram dos olhos teus
Pra que outros pudessem vir
E prolongasse o nosso adeus! Não me diga que estes versos são os últimos Se o que sinto não tem fim!
Tenho tanta coisa em oculto...
Trago-te de dentro de mim!
Chega! Chega! A musa sente sono! E a musa é que é a rima; O verso, a poesia! Quando dorme enfim a musa Também dorme a fantasia!


(Porque ganhar um poe…

Meu invólucro

Sou toda coração, ele é o meu invólucro. Antes de chegarem as palavras aos meus ouvidos, a imagem aos meus olhos, as ações aos meus sentidos e os sentimentos à minha alma, elas perpassam por ele, atravessam...e só assim podem penetrar no que chamam de razão. É tão fácil perceber...toque em mim com suavidade e eu sorrio com o corpo...com tudo que tenho. Toque em mim com aspereza e o coração fere, sangra...pois está sempre sensível a tudo que é dito, feito, intencionado.
Agora, neste momento, imolado pela tua forma de tocar meu amor, meu coração dói, dói...choro, choro...mas passa, passa...ah passa! E quando passar...posso voltar a ser eu! Ainda a mesma...envolta em sensibilidade, correndo os mesmos riscos, mas não ferida desta mesma forma...pelas mesmas causas.
Crio fugas, rotas alternativas...e se não tenho respostas preciso inventá-las...porque só acredito no que é recíproco!

Rebeldia (confusa?? )

Às vezes tudo fica meio sem nexo. E eu me pergunto, o que dá sentido à vida? Não gosto de me sentir limitada e já faz um tempo que a visão está turva. Não, não me venha com respostas prontas me dizendo o que faz a vida valer a pena, porque não é o que se sabe, é o que se sente...a consciência nem sempre é a mola mestra. Então isso não só envolve o presente, compromete o futuro, a esperança pode ficar escassa. O que se faz sem sentido e sem esperança??  Não, não, não sou pessimista e nem frustrada, mas acho que meu mundo ficou pequeno e meu "eu" espalhou-se, ganhou tamanho e dispersou...quando exatamente isso aconteceu eu não sei, mas começo a lembrar de que faz sentido quando dizem que "é mais fácil ser feliz na ignorância". Os anos passaram e a experiência me trouxe doces a amargas certezas, fortes e perenes dúvidas. É como uma guerra pela hora boa, o dia legal...e nessa inconstante forma de sentir a vida, pedaços são deixados ao chão, enquanto outros são incorporados …