Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

O que tenho

Tenho teu amor
mas não tenho a ti
isso te faz perto
ou distante de mim?


Tenho tuas palavras 
mas não tenho teu toque
isso me incendeia
...e me tira o norte

Tenho
a insípida companhia da tua ausência
o desejo da tua presença
o amargo da tua escolha.


E é só o que tenho agora...

Uma face da solidão

Acabei de descobrir que
tu me divides
me reparte em duas
o que sou e o que não queria ser
Tão rapidamente consigo sentir amor
...e raiva de você
raiva de mim...de quem, de quê?
Não sei
Não sei o que é tudo aquilo
que me devasta quando olho para tua reclusão
Engulo, disfarço
No meu passo tento fugir de mim
E onde os sentimentos se embaraçam
é que se instala aquele grande vazio
aquele que fica quando tu vais
e eu fico...
sozinha.

(Porque a solidão dos intensos nem tem cara de solidão!)

A praça do meu coração

Sempre ouvia da minha bisavó materna que "coração é praça que ninguém passeia", ela falava isso a embalar as perninhas cansadas e frágeis, com um suspiro que parecia conter todo seu fôlego, todas as suas lembranças, todos os seus sonhos. Lembro de ouvir os adultos comentando: "O que será que Vozinha (todos a chamavam assim) pensa quando diz isso??" ...mas ela não respondia uma só palavra, olhava para o nada e só consigo falava.
Ainda criança, ficava imaginando que significado teria aquilo, "coração é praça que ninguém passeia", como assim?? O tempo passou e eu pude compreender quanta verdade e quanta grandeza cabia naquela frase, aparentemente estranha para meu universo infantil. Hoje sei que nem sempre a face mostra, as palavras declaram ou as atitudes demonstram o mais íntimo do coração...são inúmeros os motivos que podem nos levar a trancafiar sentimentos, oprimir emoções, deixar nossa praça carregada de folhas ao chão e árvores sem poda, capazes de esc…

Tua...

Senta aqui, olhe em mim, quero te dizer...
o que sou e o que sinto, o que guardei pra você.
Aquilo que ninguém teve de mim, está em suas mãos.
O que vais fazer?
Tenho em você a minha alegria, o meu caminhar.
És ternura, força plena, sabedoria, bem estar.
Toma-me, o meu corpo fala teu nome, o que anseio só tu podes me dar.
Leva-me para teu mundo ou venha habitar o meu.
Não busque compreender, não tente fugir, teu lugar é aqui, em mim.
Dobra-te ao que conquistou, sonhe, vibre
Ouse ser o dono de todo meu amor.

Um raio infinito de dispersão

Aquele olhar firme e contundente encontra-se perdido entre sonhos e canções
imagens e lembranças emoções num raio infinito de dispersão tateando o intocável buscando nas ruínas o que é paupável tentando não consumir-se com o que é inatingível.

Quero ficar em mim

Vou ficar porque já não tenho seu carinho
Vou ficar porque não mais me aquece a sua voz
Ficarei para calmamente me espreitar
Porque preciso entender...como e porque nasceu o que sinto
O que vieste na minha vida ensinar.

Vou ficar pra acreditar que foi real sim
E se não me escondo do amor, ele não afasta-se de mim...

...e todos os planos ficaram soltos no infinito
Não vou distrair a ruína interior
Não há mais dúvidas nem espera
Só existe o espaço que você não ocupou...


Enfim eu fico porque não posso fugir da dor
É preciso estar consciente em cada segundo deste pesar
Para aprender e um dia voltar a sorrir
Não importa quanto tempo irá durar!

(Que dure o tempo necessário para eu enxergar desfaçatez revestida de ternura, sem jamais temer me entregar...)

Sem máscara

Já foram extremamente esperados, agitados e cheios de emoções meus carnavais. Foram.
Serão?
Hoje eu só queria uma máscara sem arremate...

Partes

Hoje sou quatro, quase cinco...partes distintas de um todo perdido.
Perdido na insensatez da paixão, no encantamento do novo, na armadilha da curiosidade, na delícia da mútua sedução, na busca do incerto e na segurança de um amor resistente.
Quem haverá de saber o que digo, o que aqui se passa...? Mas eu sei e me custa saber.
Me custa estar à espera do dia em que irei fundir-me e acrescentar a isso a frugalidade de ser plena.

Sobre o que não sou

Este blog está repleto do que sinto, do que penso e do que sou...sim, é isso tudo mesmo, esta turbulência constante, esta intensidade, sempre permeadas pela impulsividade que me é visceral. 
Mas hoje pensei diferente, pensei no que não sou...
Tenho visto as pessoas com mais atenção, mais interesse, algumas próximas, outras nem tanto...e observado suas vidas (sem interferir ou julgar, claro), então me surpreendi com suas particularidades, as diversas maneiras de conviver consigo e com os outros, suas atitudes, suas reações, como lidam com emoções. Foi inevitável pensar em como seria se eu possuísse suas características, mas...
...não me imagino metódica, programada, nem absorvida em coisas por vir...vou fazendo, conquistando... ...não dou dimensões gigantescas ao que não tem importância, também não  minimizo emoções... ...não consigo ver o futuro com pessimismo, por mais que o presente queira mostrar isso...nem o meu futuro, nem o futuro do mundo, mas não sei até que ponto isso é bom... ...n…

Ao meu hábito de revistar-me...

Era um bom vinho, eram boas companhias...músicas, danças, histórias, risos. O passado voltando, o futuro emergindo, sombreado, tímido, incerto. Eu estava ali, mas boa parte de mim flutuava. Sinto todos os dias que vivo incansavelmente à minha procura, ou pelo menos lutando para que não me perca de mim, busca insana, intensa, também contraditória e sem aparentes restituições. Por vezes me dissipo, outras desfruto de tudo que me desembaraça e, também embarga...
Redundante estou a falar de mim, porque quero repetir pra entender, alinhar, redimensionar. Só não quero repetir-me em emoções que frustram, secam, atropelam...quero experimentar o gosto daquilo que, de tão bom, não se pode descrever. Arrisco-me buscar, sempre, porque desejar saborear e não sentir ainda é melhor que não ousar saber...

Contexto

Despedaçou-me Me vi a juntar meu brio nunca tão atingido Atiçou-me Em momentos como este busco forças pra mudar de rumo Interrompeu-me Eu sempre me desconecto em situações assim Esvaziou-me Tirou de mim a doçura que consegui guardar Cegou-me Não consigo mais ver nada além do hoje...


(Gosto de amar e me entregar, mas adoro muito mais o meu jeito de gostar de mim...)

Não foi sonho, nem deixou de ser...

Deixei meu lenço cair do alto do meu castelo, ele tinha meu cheiro, minhas lágrimas. Ele passava no mesmo instante que o lenço caía, sentiu meu perfume, imediatamente sua atenção voltou-se para cima e nossos olhares se encontraram...por vários minutos nossos olhos falavam por si só. Parecia que o conhecia há muito tempo e a partir daquele momento eu não queria mais nada além dele. Deve ser isto que chamam de amor a primeira vista...parece insano amar alguém antes mesmo de conhecer (no sentido mais amplo da palavra), mas acontece de verdade.
Ele perguntou-me se aquele lenço delicado e perfumado era meu, eu, ainda encantada com tão bela voz, falei um "sim" estremecido e tímido. Ele fez questão de devolver-me, subiu pelas escadas e antes mesmo que chegasse à metade dela, eu já estava lhe esperando. Sem dizer mais nada, nos beijamos, apaixonadamente, como se no mundo inteiro só existisse nós dois...
Desde então, não conseguimos mais nos desgrudar, nossas vidas tem sido uma alegria…

Tudo muito desconexo

Dirigia ouvindo, vendo e sentindo o som arrebatador da Shakira e foi bem estranho ver o mundo acontecendo à minha volta, era como se eu estivesse alheia a tudo aquilo...em minutos senti e pensei muita coisa, acho que nunca pensei tanto em tão pouco tempo, ando com a mente inquieta demais.
Tarde caindo, foi instantâneo pensar: "eu normalmente estou presa numa sala neste horário que é incrível ou correndo pra fazer algo das tantas coisas que sempre faço", tive a terrível sensação de não estar "vivendo". Ao mesmo tempo concluí que os trabalhos nos quais estou envolvida são notáveis e bem úteis, inclusive pra mim, rs, isso me faz sentir mais gente. Controverso não? Mas o que me chamava atenção naquela hora eram as pessoas passando...fiquei observando seus andares, seus gestos, o que algumas fazem pra viver, porque estavam ali naquele horário e se estavam felizes com suas próprias vidas, coisa bem louca, mas foi o que pensei...mais louco ainda foi desejar por alguns inst…