Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Selo Este Blog Inspira-me

Recebi este selo do meu super amigo Santo & Pecador, aliás, mais um que recebo dele, que como amigo fiel que é, sempre me inclui nas suas listas de mimos, mesmo com toda a minha ausência e ingratidão, rsrs.  Obrigada querido, saiba que o teu blog também é fonte inesgotável de inspiração pra mim, é contagiante a sua  ânsia diária em escrever o que sentes, e fazes isso como poucos...
Bem, vamos lá... As únicas regras são:

Completar esta frase:

SOU FELIZ PORQUE…
A felicidade pra mim está no cotidiano, nas pequenas coisas. Sou feliz porque não faço da felicidade uma desconhecida inatingível, eu a vejo ao meu alcance todos o dias, basta que eu me disponibilize a tocá-la para trazer pra perto de mim momentos felizes. Sou feliz porque me amo e amo a vida...
e
Oferecer este selo a mais 5 blogues:
 (Aí vem a parte difícillllllllllllllllll)
A Cela de um Anjo Caído Carlos Soares Eucaliptos na Janela Esconderijo da Bandys Pedaços de Nuvem
Lógico que eu estou sendo injusta, pois apesar dos meus querido…

Morte súbita

Proteja-me de mim, deste orgulho, da incompreensão dos fatos e de sentimentos inaceitáveis...mas tão humanos.
Cuide do meu bem mais precioso, já que és o único que o pode tocar.
Encante-me de novo...e sempre, porque tudo em volta desmerece o meu olhar brilhante.
Tire-me deste caminho sem rumo, que parece não ter recuo, nem horizonte...
Mas se isso não for possível,  mate-me!
Mas mate-me de uma vez, não aos poucos...fulmine-me com a verdade que você não consegue dizer ou com a realidade que você não consegue mudar.
Não quero pausa para respirar, nem tempo para pensar. Não pedirei clemência, porque sei que sob a tortura lenta deste axioma, minha carne certamente me trairá...
Não importa que este fim leve consigo grande parte de mim e do que sou hoje...mas só o extermínio da vida pode ser pressuposto para ressuscitar!

Translúcida

O que se passa por aqui, neste coração vacilante? Ele tem se cansado de ser inconstante...ou não, às vezes dá sinais que só sabe viver assim.
Debruço-me numa carência incompreensível, observando a incoerência dos amores ofertados. Já não caibo em mim de intensidade, transitando diariamente em extremos de emoções que transbordam...para depois esvaziarem-me.
Então, buscando sempre preencher os vazios, deparo-me com conteúdos que parecem ser corrosivos, já que abrem mais espaços à medida que tentam encher.
Coloco-me à disposição do acaso, que, por acaso, já me conhece bem.
Falo um pouco de sonhos e bem mais daquilo que, de tão real, parece ter sido cuspido, vomitado...e é aí que eu encontro a maior das discrepâncias: nunca consigo dizer tudo que tem aqui dentro...
Engano o que me engana e no final de tudo...tenho ludibriado a mim mesma!

Para um anjo...

Senta aqui, conte-me tuas dores, angústias, teus medos...você ficará feliz em saber que também tenho um bocado delas e mesmo assim, prossigo.
Não, não quero te dizer o que fazer, pois não há fórmulas mirabolantes ou secretas para exterminar nossos fantasmas. Só quero te ouvir e te dar o meu ombro, um abraço amigo, chorar contigo, pra depois podermos sorrir.
Quero te mostrar o que há em ti e que você ainda não consegue ver, porque é mesmo mais complicado enxergar em nós as melhores coisas, pensamos sempre que elas são privilégios alheios.
Quero te falar sobre fé, esperança, não porque tu não as tenha em tua vida, mas porque também preciso disso para viver.
Quero te fazer crer em um amor bonito, fraterno, que quer cuidar, proteger...mesmo de longe.
Quero que tenhas algumas certezas, dentre elas, que amigos são anjos, e que hoje eu posso ser o seu...e amanhã você certamente será o meu...
Quero te dar a mão e te dizer de perto: -Meu amigo, não preciso entender como ou porque esta amizad…

Propriedade do teu olhar!

Os adornos deste corpo já não são vistos, tornaram-se secundários...viver sua ausência exalta cada centímetro de pele, vira magnetismo impróprio, atraindo involuntariamente o desnecessário, pois é um todo que pulsa à medida que respira, sentindo-te sem te poder tocar.
A luz e a escuridão já não se diferem, toda hora vivida é contemplação de uma saudade sem fim. O som vindo suave a aguçar os sentidos, conta histórias com teu nome, faz sonhar com o que poderá vir, porque não é tempo de tecer o improvável.
Ondas percorrem essa matéria viva e viçosa, só por saber que de algum lugar desejas tocá-la. Põe-se nula diante de olhos sedentos, tantos quantos são suas eclosões internas, famintas. Mas num raio que dispersa por todo o mundo, apenas um olhar é capaz de resgatar tamanha plenitude de amar...
...o teu olhar (aquele olhar)!

Pequenas verdades

Tenho vivido assim, pedacinho por pedacinho, ora suspirando e flutuando, ora tomando fôlego para viver meus sonhos ou tentar alcançá-los. Sigo entregando todos os sentidos (já são seis, não cinco) ao que ainda consigo programar. Nem sou mais dia a dia, busco hora a hora momentos felizes, só assim essa tal felicidade fica mais real, palpável, embora sua fragilidade me assuste. Tento cristalizar emoções e tenho conseguido transformar horas em eternidade, porque dentro de mim o tempo é outro, o espaço é outro...e o mundo tem outra configuração. Aqui fora as forças contra meus desejos e tentativas é demasiadamente forte, mas já nem me importo com dores atônitas, porque sempre soube que a minha intensidade jamais me permitiria viver sem elas...e a embriaguez doce de tudo que me alimenta positivamente tem permanecido mais tempo, isso faz tudo valer mais a pena.
Mesmo olhando para os lados e tendo a verdadeira noção do que me falta, sem conformismos abraço-me ao que me restou...
...e tenho …

Sob o domínio do amor

Porque o amor é assim
Muda o ritmo do coração
Que passa a viver sempre em alta pulsação
Seja por saudade, emoção ou...dor
(Sim, ele também causa dissabor)
E não importa o que estivermos fazendo
Ou por onde quer que andemos
Ele está lá, avisando insistentemente:
"tem alguém morando aqui"
Alguém que já ocupa tanto espaço que ele sozinho não consegue abrigar
Eis que nos rouba boa parte da mente, até a alma quer dominar
O que dizer do corpo então?
Esse já não nos pertence...
Não nos obedece, é inútil relutar
Resta-nos apenas se entregar
Viver e pagar pra ver
Pra onde este amor poderá nos levar...