Pular para o conteúdo principal

Refazer Caminhos


A mesma ousadia que me leva a caminhos desconhecidos, me permite refazer outros que por um tempo pareciam enfadonhos ou até considerados descartados. Esta capacidade de reestabelecer emoções perdidas e perder as que julguei permanentes deveria me soar corriqueiro, mas ainda me assusta.
Divagar sobre estes caminhos é voltar a falar de fases, todas sempre permeadas pela minha impulsividade. Ser impulsiva requer audácia, saber lidar com uma certa inconsciência e acostumar-se com o gosto da inconsequência. E embora eu seja convicta que seguir impulsos não faça de mim uma pessoa irresponsável, admito que tenho pago altos preços...
Entre erros e acertos, contemplo a intensidade dos meus atos, a perplexidade dos sentidos e a incrível habilidade de (re)sentir o entusiasmo ao percorrer caminhos tantas vezes habitados.
Adoro a emoção do novo, mas o mesmo conhecido que me cansa, consegue me fazer ver o brilho que outrora apagou. 
É constância na efemeridade, é permanência no que se faz fugaz.
Tento alcançar minha imensidão interior com as palavras que me são tão fáceis e honestas, mas estou longe disso, nesse texto ou em qualquer outro...e nesta tentativa de entender minha incoerência, revelo-me em escritos e promessas verbais que podem estar sendo lançadas ao vento...ou podem ser uma ventania de constatações que fazem de mim o que sou. 
E hoje já sei que para meus pés não existem caminhos que não possam ser refeitos...

Comentários

  1. Durante um momento de muita reflexao, li um rascunho em um lvro que havia emprestado a um amigo. O rascunho dissia assim:
    " Se por acaso esta perdido em seu caminho, volte ao inicio e começe novamente"

    Fiquei pensando nisso, voltar ao inicio. O ato de voltar nao só nos permite refazer o caminho, trocar as alternativas, mas principalmente percorrermos todos os passos antes já dados, porem na otica inversa.....

    Me permite ver de um outro angulo aqueles passos que antes eu somente poderia ve-los naquela posição.....

    Que seus pés sejam fortes para caminhar, porem que sejam mais firmes ainda para ti levar a percorrer os mesmos passo,s porem na otica inversa.

    ResponderExcluir
  2. Os caminhos errados ou mal caminhos só existem de forma antecipada, ou seja, antes de entrarmos por eles, porque depois que decidimos por eles e estamos trilhando-os ou já os trilhamos então não devem mais ser considerados como equívoco, pois, não há um caminho tão ruim a ponto de que venhamos a trilhá-lo sem aprender nada em meio as suas curvas! Bons caminhos, tu é tri!

    Um abraço pra ti!

    ResponderExcluir
  3. ola amiga

    caminando se hace el camino... (Antonio Machado)
    FELIZ FIM DE SEMANA

    BEIJOS

    ResponderExcluir
  4. Bela maneira de ver a impulsividade. A minha, me defende, me engrandece e também me faz pagar um preço alto, como a tua.

    beijo. Adorei esse texto, com mais calma quero ler outros.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Nem tudo vale a pena...

Vida que segue, histórias que findam... para que outras comecem.
Erros e caminhos que não podem ser refeitos.
Lamentar já não serve, porque o que passou nos escapou e o que fica de concreto são somente as lições, marcadas a ferro e fogo, nada poderá tirá-las de nós... pessoas e situações se vão, mas as aprendizagens ficam... e que bom que é assim!
Todos temos na vida momentos ou fases que desejaríamos não ter vivido, ou não mais lembrar, mas são exatamente estes que ficam se repetindo em nossas mentes a ponto de dizer-nos ao pé do ouvido: logo tu, tão seguro (a), esperto (a) e cheio (a) de si, viveste isto?
É, a racionalidade nem sempre nos é companheira e por vezes abandona até o mais perspicaz dos mortais. Importante mesmo é que ela não se vá para sempre e que o amor próprio continue reinando absoluto sobre todas as paixões terrenas.
Havia dentro de mim uma convicção imensa de que esse meu jeito de viver impulsivamente, respeitando todos os desejos e fazendo sempre o que o coração …

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]