Pular para o conteúdo principal

Entre cacos

É. Então é assim. Ontem você quebrou o caule das flores, hoje um copo, amanhã será um vaso vermelho. E você não conserta as coisas. Nunca. Passado um tempo, você empilha elas sobre a mesa e finge que estão como sempre estiveram. Como sempre deveriam estar.

Na mesa (quebrada) as flores (partidas) apodrecem no vaso (trincado). E você sorri, me abraçando como se tudo estivesse bem. Como se ruínas fossem belezas ainda frescas. Não são.

Eu vejo os vincos. Eu me corto nos cacos. Eu sei dos armários abarrotados de louça partida. Dos baús repletos de roupas rasgadas. Fiapos de cortina não cobrem o sol, meu amor.

É. Então é bem assim. Um dia você vai perceber que a única coisa inteira na casa toda é o espelho. Mas, se o espelho está inteiro, minha querida, então somos nós que estamos partidos.

V. Linné


Poucas vezes postei aqui textos de outras pessoas, apesar de admirar vários escritores, conhecidos ou não. É que este não é mesmo o propósito do blog. Mas é realmente impressionante como nos deparamos com textos que nos caem tão bem que parecem ter sido escritos por nós mesmos. É o caso desta analogia maravilhosa e profunda do V. Linné, aliás parecida com uma que eu fiz há pouco tempo sobre o "meu interior". Ela diz muito pra mim,  de mim, e hoje, estando eu entre cacos, não poderia deixar de postar.

Comentários

  1. Amiga, as vezes sinto assim também... como se algo tivesse sido escrito para mim!!! Aqui mesmo já me identifiquei em seus próprios textos que cheguei até a levá-los para o cantinho!!! Texto perfeito... triste... mas acontece muito das pessoas não notarem e esconderem a poeira debaixo do tapete... uma hora a poeira sai!!!
    Bj grande e que 2011 seja um ano repleto de boas e maravilhosas realizações para todos nós!

    ResponderExcluir
  2. Sei o que é isso, guria! Quem sabe mais que eu? E a única coisa que eu sei que se pode fazer numa hora dessas - não que seja o correto, mas é o que eu faria - é por toda essa quinquilharia quebrada no lixo.

    Um abraço! Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
  3. Olá amiga
    Desejo a você e família, um Ano Novo cheio de realizações, amor e paz.
    Bjux

    ResponderExcluir
  4. Queridonaaaaaaa passando rapidinho para te desejar um EXCELENTE ANO NOVO que ele seja cheio de coisas boas, tudo de bom! Obrigada pelo carinho e cia no decorrer do ano de 2010!
    Beijo, beijo!
    She

    PS: Qto ao post... Também achei o texto SENSACIONAL! Valeu por compartilhar! ;) Bjks!

    ResponderExcluir
  5. Kenia...

    todos nós, em algum momento, estamos como cacos, querendo virar um mosaico, querendo a reconstrução... e ela vem, vem sim... as vezes mais lenta do que merecíamos, mas vem...

    desejo um 2011 de amores, de realizações e de ternuras...

    adoro você, te desejo tudo de bom... tudo... tudo...

    ResponderExcluir
  6. Textos que falam por nós realmente nos dão uma sensação sem igual.

    Saudades daqui.

    Grande Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Espero que você já esteja refeita, morena. Eu também ando meio quebradinho. Gostei do texto do nosso amigo. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Também voltei pra ler esse texto que eu adorei... Sabe o que eu acho? Que a vida é mesmo um eterno mosaico, e o aprendizado está em quais cacos que vamos juntar para fazer um belo trabalho... ;)
    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Nem tudo vale a pena...

Vida que segue, histórias que findam... para que outras comecem.
Erros e caminhos que não podem ser refeitos.
Lamentar já não serve, porque o que passou nos escapou e o que fica de concreto são somente as lições, marcadas a ferro e fogo, nada poderá tirá-las de nós... pessoas e situações se vão, mas as aprendizagens ficam... e que bom que é assim!
Todos temos na vida momentos ou fases que desejaríamos não ter vivido, ou não mais lembrar, mas são exatamente estes que ficam se repetindo em nossas mentes a ponto de dizer-nos ao pé do ouvido: logo tu, tão seguro (a), esperto (a) e cheio (a) de si, viveste isto?
É, a racionalidade nem sempre nos é companheira e por vezes abandona até o mais perspicaz dos mortais. Importante mesmo é que ela não se vá para sempre e que o amor próprio continue reinando absoluto sobre todas as paixões terrenas.
Havia dentro de mim uma convicção imensa de que esse meu jeito de viver impulsivamente, respeitando todos os desejos e fazendo sempre o que o coração …

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]