Pular para o conteúdo principal

Rebeldia (confusa?? )

Às vezes tudo fica meio sem nexo. E eu me pergunto, o que dá sentido à vida?
Não gosto de me sentir limitada e já faz um tempo que a visão está turva.
Não, não me venha com respostas prontas me dizendo o que faz a vida valer a pena, porque não é o que se sabe, é o que se sente...a consciência nem sempre é a mola mestra.
Então isso não só envolve o presente, compromete o futuro, a esperança pode ficar escassa. O que se faz sem sentido e sem esperança?? 
Não, não, não sou pessimista e nem frustrada, mas acho que meu mundo ficou pequeno e meu "eu" espalhou-se, ganhou tamanho e dispersou...quando exatamente isso aconteceu eu não sei, mas começo a lembrar de que faz sentido quando dizem que "é mais fácil ser feliz na ignorância". Os anos passaram e a experiência me trouxe doces a amargas certezas, fortes e perenes dúvidas.
É como uma guerra pela hora boa, o dia legal...e nessa inconstante forma de sentir a vida, pedaços são deixados ao chão, enquanto outros são incorporados ao que somos.
Felicidade!? Tema unânime entre filósofos, estudiosos, religiosos e de gente comum. Talvez a maior busca, a maior incógnita. É mesmo possível ser feliz ou apenas ter momentos felizes? Mas nem era disso que eu estava falando (um flash invadiu meu texto), até porque esta questão nunca me tirou o sono. De que me importa saber o que é a felicidade de fato? Volto a dizer, não é o que se sabe, é o que se sente, quero senti-la, teorizar sobre ela não é meu objetivo de vida.
Escrever tudo isso resolve?? Hoje estou questionando até a minha melhor terapia, minha mais expressiva forma de extravasar...
Na verdade nem sei bem ao que me rebelo, ou se a esta altura do texto eu saiba exatamente porque ele começou. O que sei é que assumo este tom quando as coisas não estão como eu gostaria que estivessem, não por algum dia ruim ou alguma situação isolada, mas é sempre fruto de uma reflexão.
Não tenho dúvidas sobre o que sou, talvez sobre o que quero. Sempre tive maior orgulho das minhas convicções e sempre dei a cara pra bater por elas...mas hoje, especialmente hoje, as coisas ficaram menos densas. Mais tarde é um dia novo, gosto de acreditar que ao amanhecer as coisas terão novo ritmo, nova cara, por mais ingênuo que pareça...também não sei se farei algo pra mudar tudo (é claro que eu sei que só este é o caminho), a única coisa que sei agora é que pra viver é preciso ter coragem!!! Não a coragem de atos heróicos e dignos de divulgação, mas a coragem do dia-a-dia, de um amanhecer a outro, nas coisas pequenas e nas grandiosas, a coragem de ser e assumir tudo aquilo que realmente somos...

Comentários

  1. Se pudesse deixar algum presente a você deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos
    A consciência de aprender tudo
    o que foi ensinado pelo tempo afora
    Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
    A capacidade de escolher novos rumos.
    Deixaria para você se pudesse
    o respeito àquilo que é indispensável.
    Alem do pão o trabalho
    Além do trabalho ação
    E, quando tudo mais faltasse um segredo.
    o de buscar no interior de si mesmo
    a resposta e a força para encontrar a saída"

    Bom dia

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Em todos as três ou quatro postagens suas, percebi questionamentos. Gosto muito de gente que questiona. Sobre o mais novo quero dizer que o que sente é passageiro, todos temos essa sensação às vezes. Sobre a felicidade, tem uma música antga que diz. "Felicidade não existe. O que existem na vida são momentos felizes". Parece meio breguinha,né. Mas eu concordo. ssim como a infelicidade també, não existe.Portanto vivamos com intensidade e apego os bons momentos. Os maus momentos, se vierem, também nos ensinam muito. Meus parabéns mais uma vez.Beijos e ótima semana

    ResponderExcluir
  3. "O passado está morto; o futuro é imaginário; a felicidade só pode ser no eterno momento do agora."

    Vamos vivendo cada momento como se fosse o ultimo, e vamos tendo momentos de pura felicidade.

    Acredito, que aqueles momentos de felicidade que tanto desejamos, também advirão!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá..boa semana.
    Obrigado pela visita!
    Gosto dos teus textos,ainda mais sendo nova, és profunda.
    Este sentimento que tens acredito ser de ser um "estranho no ninho."
    É um sentimento de estranheza com o mundo,algumas pessoas se contentam com tudo;outras são rebuliço de alma.
    Lê o Lobo da Estepe,de Herman Hesse.
    Acha a tua tribo,pessoas que sentem esta estranheza,este gostar da filosofia de butequin.
    O fútil cansa...
    BEIJOS DA CRIS

    ResponderExcluir
  5. Te respondendo em ordem...

    1 - Aqui que você identifica, seja um sorriso, uma flor e até o chor (pois vai depender do teu estado de espirito).

    2 - Bem, talvez inexistência, algo nem é a tristeza e nem alegria.

    3 - Felicidade com estado constante não existe, mas deslumbres dela (minha opinião).

    4 - Penso que sim, mas desde que procuremos no lugar certo, o que é certo para nós e não o que achamos certo.

    5 - é o teu ideia que te completa, mas é váriavel de acordo com o teu estado do humor.

    6 - Penso quem sim, pois pelo menos te alivia.

    Agora, para finalizar, bom texto.

    Fique com Deus, menina Kênia Araújo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. - nós proprios damos sentido á nosso vida !
    - beijinhos queridaa :)

    ResponderExcluir
  7. Questionamentos que nos fazemos todos os dias...são eles que nos impulsionam... Às vezes me questiono sobre a realidade e fico com calafrio na espinha!
    Quanto a tua pergunta no meu blog, ainda não tenho uma resposta hj...mas sinto que é hora de fechar a página.

    Um beijo no teu core.

    ResponderExcluir
  8. Amiga, mais um texto que eu me sinto autora... eu queria dizer isso, fazer essas perguntas... ou melhor...eu sempre faço isso.
    Um dia a gente vai ter tudo isso.
    bj e boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Adorei tua rebeldia! Tu sabe né Kenia que esses momentos de "confusão" são ótimas fontes de aprendizado! Uma explosão filosófica! Haja vistas as palavras profundas que de ti li agora - e concordo!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde minha querida.
    Posso te dizer uma coisa?
    Tens personalidade,creio q resume tudo.
    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  11. Poxa minha querida vc está dodói?
    Fiquei triste,mas se cuida ok.
    Vai passar minha menina.
    Um beijo grande.

    ResponderExcluir
  12. "Não procures, Leuconoe, - ímpio será sabê-lo -
    que fim a nós os dois os deuses destinaram;
    não consultes sequer os números babilónicos:
    Melhor é aceitar! E venha o que vier!
    Quer Júpiter te dê ainda muitos Invernos,
    quer seja o derradeiro este que ora desfaz
    nos rochedos hostis ondas do mar Tirreno,
    vive com sensatez destilando o teu vinho
    e, como a vida é breve, encurta a longa esp'rança.
    De inveja o tempo voa enquanto nós falamos:
    trata pois de colher o dia, o dia de hoje,
    que nunca o de amanhã merece confiança."

    Horácio, "Odes".

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]

Oclusão

Não sei como ainda pode existir algo de ti no meu peito, depois dos inúmeros pedaços que já arranquei...embora os tenha removido pouco a pouco, como aquele procedimento bizarro para curar queimaduras extremas (as necroses são retiradas da pele, para que a regeneração ocorra de dentro pra fora).E cada parte que eu tirava à força, era uma tentativa de viver de novo, mesmo me sentindo morta.

Durante todo este tempo, esses pequenos recomeços exigiram de mim muito esforço, porque estavam inclusos em um contexto de uma aparente harmonia. E mesmo com todo meu empenho em virar de vez esta página, você estava ali, mais presente do que eu conseguia admitir até pra mim mesma. Oscilação pura...é que de fato não é tão simples esquecer alguém que te faz interagir com um lado seu, até então, totalmente desconhecido. Provei da fração mais amarga que me constitui, aquela cuja autossuficiência e autocontrole, características que sempre me acompanharam e fizeram de mim a pessoa mais confiante do mundo, f…