Pular para o conteúdo principal

Da vida que ensina, de um coração que se renova.


Ela falava para si mesma com um entusiasmo de quem falava para multidões... olhava para o horizonte e articulava as idéias: "É, saber viver é assim, ficar atenta, estar sempre preparada para colher da vida as melhores sementes, bem como para podar as ervas daninhas que se disfarçam de flor, mesmo que sua beleza e perfume sigam encantando enquanto matam. É olhar para os lados, pra trás e pra frente, enxergar caminhos, replanejar... aprender a sonhar novos sonhos."
Pode-se descobrir todo dia algo novo, basta que os olhos da alma nunca se fechem. Algumas dessas descobertas são ultra importantes, outras simples e corriqueiras, mas nenhuma definitiva. E essa era a máxima que ela havia aprendido nas suas três décadas de vida: nenhuma sentença é irrevogável! Nem as boas, nem as ruins... 
Era no desapego que essa vida louca ensinava-lhe a acreditar, mas o seu coração, que estava quase sempre desprotegido das suas convicções mais arraigadas, ainda queria crer que não só de entalhes viveria para sempre.... Numa dessas horas em que nenhum dos seus sentidos dormiam, viu-se inebriada por uma imagem que seduziu não somente a sua visão. Sorriu e não deixou de estender-lhe as mãos como se nelas houvesse uma oferta... fez com que o seu olhar representasse o seu pedido mais explícito: um amor de verdade, não corrompido pelas tantas dores que o passado ensinou.
Porque é ousando que um coração faz-se novo...

(Ele, como quem entendera e assim também quisesse, vestiu-se dos desejos dela e levou-a para seguir  outros rumos...)

Comentários

  1. Minha querida, vejo que por aqui, também o amor está implícito em cada palavra, em cada vírgula do que escreves...

    O que seria a vida sem o amor e suas dores??? rs

    Amando e sofrendo, e assim a gente vai vivendo...

    Beijos e obrigada por seu carinho.

    ResponderExcluir
  2. Estive lendo vários posts teus e que beleza de poesia escorre por aqui...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Estou conhecendo seu blog hoje..
    Por tudo que pude ler o amor esta no ar.
    Li também uma linda poesia estou seguindo seu blog
    convido você a visitar e seguir-me se gostar beijos meus,,Evanir.

    ResponderExcluir
  4. "é ousando que um coração faz-se novo..."

    Nunca tenhamos receio de ousar! Quem não ousa não vive, apenas existe!...


    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  5. lindo aqui , me segue ? sigo de volta (:
    gabrielaciribelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi linda,
    Sίηтα ѕємρrє α lίвєrđαđє đє ρσđєr νσαr,
    Ծlhє ѕємρrє σ hσrίzσηтє, ρσr мαίѕ
    đίѕтαηтє qυє єlє ρσѕѕα єѕтαr,
    đê αѕαѕ ασѕ ѕσηhσѕ.

    Nãσ đєίxє qυє α νίđα ραѕѕє, ѕєм qυє
    νσcê тєηhα νσαđσ єм вυѕcα đα
    fєlίcίđαđє, đє тєr αlcαηçαđσ
    ρσr αlgυм ίηѕтαηтє, є
    тσcαđσ ρσr αlgυм мσмєηтσ,
    υм ѕσηhσ cσм υм ρєηѕαмєηтσ.

    Ame e renove seu coração sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Na vida somos o que guardamos no coração e na alma,,,e podemos sim, sermos felizes por todos os caminhos que passarmos,,,grande beijo de lindo dia pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Olá Impulsiva
    Adorei: "Nenhuma sentença é irrevogável... É isso mesmo, podemos voltar atrás sem nos sentirmos envergonhados. Adorei o texto.
    Bjux

    ResponderExcluir
  9. Olá.

    Há nas palavras inundadas
    de sentimentos,
    o maravilhoso
    sabor da vida...

    Que sempre
    existam
    sonhos em ti...

    ResponderExcluir
  10. Porque ousando o coração fez-se novo. É disso que o meu precisa.
    Beijo ruiva linda.

    ResponderExcluir
  11. Muy bonito su post y bello blog,
    es un grato placer pasar a leerte.
    que tengas una feliz semana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]

Oclusão

Não sei como ainda pode existir algo de ti no meu peito, depois dos inúmeros pedaços que já arranquei...embora os tenha removido pouco a pouco, como aquele procedimento bizarro para curar queimaduras extremas (as necroses são retiradas da pele, para que a regeneração ocorra de dentro pra fora).E cada parte que eu tirava à força, era uma tentativa de viver de novo, mesmo me sentindo morta.

Durante todo este tempo, esses pequenos recomeços exigiram de mim muito esforço, porque estavam inclusos em um contexto de uma aparente harmonia. E mesmo com todo meu empenho em virar de vez esta página, você estava ali, mais presente do que eu conseguia admitir até pra mim mesma. Oscilação pura...é que de fato não é tão simples esquecer alguém que te faz interagir com um lado seu, até então, totalmente desconhecido. Provei da fração mais amarga que me constitui, aquela cuja autossuficiência e autocontrole, características que sempre me acompanharam e fizeram de mim a pessoa mais confiante do mundo, f…

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …