Pular para o conteúdo principal

A praça do meu coração

Sempre ouvia da minha bisavó materna que "coração é praça que ninguém passeia", ela falava isso a embalar as perninhas cansadas e frágeis, com um suspiro que parecia conter todo seu fôlego, todas as suas lembranças, todos os seus sonhos. Lembro de ouvir os adultos comentando: "O que será que Vozinha (todos a chamavam assim) pensa quando diz isso??" ...mas ela não respondia uma só palavra, olhava para o nada e só consigo falava.

Ainda criança, ficava imaginando que significado teria aquilo, "coração é praça que ninguém passeia", como assim?? O tempo passou e eu pude compreender quanta verdade e quanta grandeza cabia naquela frase, aparentemente estranha para meu universo infantil. Hoje sei que nem sempre a face mostra, as palavras declaram ou as atitudes demonstram o mais íntimo do coração...são inúmeros os motivos que podem nos levar a trancafiar sentimentos, oprimir emoções, deixar nossa praça carregada de folhas ao chão e árvores sem poda, capazes de esconder toda beleza deste lugar, que é mais único e individual que qualquer outra coisa neste mundo. Há também o outro lado, a nossa incapacidade de expressar tudo que cabe dentro de nós, por mais que queiramos tornar todo nosso interior evidente, à mostra, à prova.

Cada um, cada praça, tem suas histórias...quem sentou em nossos banquinhos por um passeio apenas, quem está na nossa praça por toda vida, com lugar fixo e cativo...além de tantos detalhes tão nossos que nenhuma boca humana consegue esmiuçar com fidedignidade tudo o que neste ilimitado espaço se passa, nem todas as palavras do mundo, nem todos os poemas e textos de amor e de dor...de anseios e esperanças, de carinho ou de paixão, de amizade, de família, de revolta, inquietações, de descobertas, de ciência ou de experiência, de encontros e desencontros...

Sabe Vozinha, acho que seus suspiros davam a impressão do "não viveu, não sentiu" e é esse um dos meus maiores receios, ver a vida passar e já naquela sua idade, ao me sentar numa cadeira de balanço, dar gemidos de lamento enquanto a mente vagueia em tudo aquilo que "não foi"...
Com certeza ainda errarei muito, mas assim eu não quero errar, não por covardia, ou por omissão. Menos ainda por pressões externas, sejam elas quais forem...isso não pode, não acho certo.

O que tu pensavas e sentias minha bisa, ninguém nunca saberá...assim como muito do que se passa aqui dentro, pois minhas palavras não conseguem alcançar...por muitas e muitas vezes nem toda capacidade e formas de expressão que possuo dão conta deste papel. Confesso, algumas vezes o faço intencionalmente, devo ter entendido, sem perceber, a sabedoria daquele teu silêncio...certas coisas são minhas e só minhas.
É Vozinha, "coração é praça que ninguém passeia", e também é terreno que ninguém conhece!!

(Saudade minha querida Mariana, queria ser até hoje "sua enfermeirinha...")

Comentários

  1. Que texto lindo Kenia! Belas palavras da sua vozinha. *-*



    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Magistral, como sempre!
    Concordo com sua bisa, o rumo que o nosso coração toma é decidido por ele, mesmo nas vezes que aquele que o transporta não queira!
    O amor é assim, um lugar estranho!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  3. Minha querida Kénia,

    Em primeiro quero dizer a voce que voce é uma moça linda!
    Depois que seu texto é maravilhoso e muito verdadeiro.
    Realmente as praças do nosso coração só nós mesmos é que passeamos nelas e por algumas vezes lamentamos isso....e outras coisas.
    Engraçado nosso pensamento hoje ser em palavras diferentes o mesmo.
    Gostei muito de te ler e de apreciar a sua escrita,que por sinal é belissima.
    Não me leve a mal se fico por algum tempo sem comentar mas minha vida nem sempre dá para isso.
    Gostei de "conhecer" a sua bisa,atravéz das suas palavras...

    Bjinho enorme cheio de luar

    ResponderExcluir
  4. a alma(coração) é um espaço imenso que aprendemos a conhecer com o passar dos tempos.

    ResponderExcluir
  5. LIndo texto,,,é sempre gostoso a gente poder se aproximar da sabedoria dos mais idosos...beijos e um lindo final de semana pra ti.

    ResponderExcluir
  6. Olá Kénia .
    obrigado por ainda ires ler as minhas parvoíces . :)
    mas, acho que nesta vida nunca irei estar completa porque "ele" vai lá estar sempre, infelizmente :(

    ResponderExcluir
  7. Cora Coralina dizia esse ditado de uma maneira difrente, mas que não deixa de ter o mesmo significado.Dizia assim: Coração é terra que ninguém vê
    - diz o ditado.
    Plantei, reguei, nada deu, não.
    Terra de lagedo, de pedregulho,
    - teu coração. Bati na porta de um coração.
    Bati. Bati. Nada escutei.
    Casa vazia. Porta fechada,
    foi que encontrei...

    Um beijo e meu sorriso pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Quem disse que você não é poetisa ou poeta? Um texto pra lá de nostálgico, gostoso. Pena, não conheci minhas vovozinhas. Você relatou com maestria a sabedoria de sua bisavó.Ela estava certa, coração dos outros é uma praça que ninguém conhece mesmo. Gostei muito pois gosto muito de contar esses causos no meu blog.Parabéns mais uma vez.Beijos

    ResponderExcluir
  9. Texto tão lindo *.*
    Gostei muito de suas palavras, voltarei por aqui ^^

    Grande Beijo.

    ResponderExcluir
  10. esses são so ensinamentos que levamos por toda a vida... coração é campo privado, de segredos e entregas, de sonhos e desejos...

    lindo texto, me emocionou

    beijo grande

    ResponderExcluir
  11. Pelo jeito, a tua biza foi bem sabia e acabou te ensinando a melhor lição que podia.

    Fique com Deus, menina Kênia Araujo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]

Oclusão

Não sei como ainda pode existir algo de ti no meu peito, depois dos inúmeros pedaços que já arranquei...embora os tenha removido pouco a pouco, como aquele procedimento bizarro para curar queimaduras extremas (as necroses são retiradas da pele, para que a regeneração ocorra de dentro pra fora).E cada parte que eu tirava à força, era uma tentativa de viver de novo, mesmo me sentindo morta.

Durante todo este tempo, esses pequenos recomeços exigiram de mim muito esforço, porque estavam inclusos em um contexto de uma aparente harmonia. E mesmo com todo meu empenho em virar de vez esta página, você estava ali, mais presente do que eu conseguia admitir até pra mim mesma. Oscilação pura...é que de fato não é tão simples esquecer alguém que te faz interagir com um lado seu, até então, totalmente desconhecido. Provei da fração mais amarga que me constitui, aquela cuja autossuficiência e autocontrole, características que sempre me acompanharam e fizeram de mim a pessoa mais confiante do mundo, f…