Pular para o conteúdo principal

Expressão

Esta na verdade é uma republicação, já postei este texto no ano passado, ele é do Marco Aurélio Oliveira (Blog Insana Insônia), um blogueiro poeta, criativo, reflexivo e meio maluco também, rsrs (desculpa MAO, mas é maluco no bom sentido), pois ele é ousado e autêntico. 
Enfim, além de me identificar com quase todos os seus poemas e textos, adoro  de paixão "este" que está logo abaixo. Quando o leio em certas ocasiões parece que ele me lava a alma...
A diferença desta vez é que fiz uma (super) adaptação, na verdade aproveitei o primeiro e o último parágrafo e inseri minhas idéias no meio, rsrs, o texto original, que é bem pequeno mas diz muito, foi publicado em  outubro (pode clicar e comparar).



"Quando certos acontecimentos me tiram o chão, feito uma águia, vôo alto para além da tempestade, com as lindas asas da minha imaginação.  
Quando a vida me mostra sua melhor face, deleito-me em seus sabores e contemplo a beleza dos instantes que me são dados de presente, enquanto os reveses não chegam, pois eles sempre virão. E já que não podemos conter os dias maus, então agarremo-nos aos dias bons, não faz sentido seguir o lado oposto daquilo que faz nossa alma ensolarada e o nosso coração pulsante, quando  é exatamente isso que está diante de nós. Existem pessoas, amores, situações, fases, emoções, descobertas, afinidades e momentos que são verdadeiras ofertas deste percurso que chamamos vida...mas há de se ter mente e alma desmedidas para desfrutar destas boas dádivas.
Mas entendo (na verdade gostaria de entender) quem contente-se em viver e enxergar a vida de um poleirinho com pouco mais de um metro de altura, farelos e um punhadinho de milho."


Por isso grito:
Quero longe de mim a pequenez de idéias, a covardia que oprime e a acomodação que me distancie de ser feliz! 
Somos do tamanho que nos vemos, a vida tem a dimensão que damos a ela... (Kenia Araújo)

Comentários

  1. Estou cada dia a ceditando mais nisso.
    Somos o que queremos ser.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Adorei!
    A vida é mesmo do tamanho com que a olhamos!

    Beijos
    Angel

    ResponderExcluir
  3. E o que me prendeu mais atenção foi "somos do tamanhos que nos vemos", pois muitas vezes não conseguimos nos ver perfeitamente e por isto nos menosprezamos...

    Fique com Deus, menina Kênia Araújo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Prefiro o voo alto das águias...
    Mas elas precisam pousar em algum momento e se preparem para novos voos.
    Beijos
    Glória

    ResponderExcluir
  5. Amiga Impulsiva,

    Seu texto hoje me tocou.
    Sim temos mesmo que aproveitar as dádivas que esta vida nos dá e saber deixa-las partir no tempo certo.
    "Por isso grito:Quero longe de mim a pequenez de idéias, a covardia que oprime e a acomodação que me distancie de ser feliz!"
    Fabulosamente,fabuloso!
    Menina voce hoje caprichou!!!!

    Bjinhos cheios de luar

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pela sua visita, você ajuda sempre com os seus comentários.
    Bom fim de semana,
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Bela readaptação,eu ameiiii.
    Como vc está minha menina linda!!!
    Saudades de tu,me perdoe se sumi mas estou trabalhando muito e quase ñ tenho tido tempo de entrar.Estou visitando os amigos aos poucos e agora cheguei noceeeeeeeeeeeeeeeeeee.
    Saudads minha bela,vc é uma graça de menina pode crer nisso.
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  8. Uma adaptação perfeita e uma mensagem linda...Somos do tamanho que nos vemos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Nossa,Kênia. Por isso você não pode ficar longe do blog. Veja essa pérola. Gostei demais e parabéns ao MAO também. Beijos

    Ah... quer comnhecer a nova versão do PONTO G? Vá conferir no meu blog

    ResponderExcluir
  10. De tanto tentar voar alto, trago as asas machucadas e enfrento dia a dia o olhar altivo e superior de quem vive por um punhado de milho!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Nem tudo vale a pena...

Vida que segue, histórias que findam... para que outras comecem.
Erros e caminhos que não podem ser refeitos.
Lamentar já não serve, porque o que passou nos escapou e o que fica de concreto são somente as lições, marcadas a ferro e fogo, nada poderá tirá-las de nós... pessoas e situações se vão, mas as aprendizagens ficam... e que bom que é assim!
Todos temos na vida momentos ou fases que desejaríamos não ter vivido, ou não mais lembrar, mas são exatamente estes que ficam se repetindo em nossas mentes a ponto de dizer-nos ao pé do ouvido: logo tu, tão seguro (a), esperto (a) e cheio (a) de si, viveste isto?
É, a racionalidade nem sempre nos é companheira e por vezes abandona até o mais perspicaz dos mortais. Importante mesmo é que ela não se vá para sempre e que o amor próprio continue reinando absoluto sobre todas as paixões terrenas.
Havia dentro de mim uma convicção imensa de que esse meu jeito de viver impulsivamente, respeitando todos os desejos e fazendo sempre o que o coração …

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]