Pular para o conteúdo principal

Minha (s) terapia (s)

A blogosfera foi um mundo delicioso que descobri, pena que tardiamente, pois foi já no último trimestre do ano passado. Bem, nem sei se foi tarde, afinal tudo tem seu tempo. Sempre escrevi, há vários anos atrás, ainda com papel e caneta, eu já era "dependente" da escrita como meio de buscar equilíbrio, buscar compreender-me. Transformar em palavras minhas emoções, quase sempre extremadas, já é hábito antigo, iniciado na infância. Sem ter consciência do que fazia, eu já tinha uma terapia que, com o tempo, só se aperfeiçoou. O certo é que aqui neste blog faço algumas das coisas que mais gosto na vida: escrevo, leio, conheço, descubro, interajo, me exponho, literalmente, mas no melhor sentido da palavra expor. Nestes meses tenho feito viagens maravilhosas, pois cada blog é um mundo, que ao mesmo tempo que é particular demais, é um universo ilimitado. Conheci pessoas incríveis, a troca de energia que tem aqui é impagável. Se estou triste estou aqui, se feliz também...

Mas as vezes quero outros caminhos e em algumas ocasiões em vez da mente, é o corpo que precisa falar. E eis que corro para a minha outra terapia: dançar!!! E aí tudo que preciso é de uma roupa que eu me sinta linda e livre, algumas amigas por companhia (ou aquele par), um lugar que seja mais que dançante, que todo o ambiente conspire a favor e que seja eclético como eu...então não há tristeza que faça meu corpo resignar-se, que o deixe renunciar ao convite magnético dos ritmos que tocam minha alma, o meu coração e fazem com que eu me movimente quase que involuntariamente.

Ali estava eu...e não estava, era o som e o meu vestido, enquanto a mente viajava nas músicas, o corpo exprimia todos os desejos, ou tudo aquilo que sou! Tinham pessoas ao redor...e não tinham. Impossível pensar em angústia, saudade...no máximo visualizar uma dança a dois, mas sem dor, sem traumas...
Sensação indescritível a de dançar como se ali só estivesse eu, e embalada por uma bebida gostosa,  não parava, só queria mais, cantava junto...entreguei-me toda! As músicas de estilos variados e de diferentes épocas (perfeito) contavam a minha história...enquanto eu...bem, eu apenas dançava!!!!

Só saímos quando a música parou, já era quase dia! Ao deitar-me tive a consciência que nada mudou, mas por uma noite inteira saí de mim, senti a leveza que permite voar para longe de toda realidade que maltrata...e dormi como um anjo, um anjo que dança, ainda com o prazer da cadência me envolvendo da cabeça aos pés...
Mais uma noite, como muitas outras que busquei, que me faz afirmar que dançar, pra mim, é deleite e é remédio.

(É necessário enfatizar que não saio pra dançar só quando estou triste ou precisando fugir de algo que me consome, dançar é bom em qualquer tempo, e posso dizer com alegria que minha motivação na maioria das vezes é a felicidade!)



Foto: Antes de sair pra dançar, 02 de junho de 2010.
Não posso deixar de dizer que o vestido foi desenhado por mim e é da minha marca de roupas "Madame K". Ele tem lindíssimos detalhes de caimento, uma fluidez gostosa, a modelagem dele causa  curiosidade a quem o vê bem de perto, mas o preto em foto oculta tudo isso, uma pena!

Comentários

  1. Kenia,

    O corpo dança e a mente é embalada pelo ritmo do momento.

    Seu jeito de externar emoções é maravilhoso.

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  2. Arrasou amiga!!! Em tudo!!! Primeiro, no vestido "Madame K", que chiqueeeeeeeeee!!!! Mesmo sem ver os "detalhes" por causa do preto como vc disse... ele é lindo, combinando com a "madame"...rsrsrsrs
    Descobri mais uma coisinha em comum: a paixão pela dança. Nooooooooossa! São as mesmas sensações que tenho enquanto danço! Inexplicável! Pena que alguns não consigam entender. Há poucos meses comecei a Dança do Ventre, que nunca tinha feito, e estou amando!!!!
    Agora tenho q voltar pra minha "faxina" no blog!!! Bjão

    ResponderExcluir
  3. Dançar é algo maravilhoso. Faz bem pro corpo, pra alma... tb adoro!! Faz muito bem Kenia!

    Quanto ao vestido, deu pra ver que é lindo... imagina de perto. Parabéns "Madame K"!! (riso)

    Beijos querida!! S2

    ResponderExcluir
  4. Gente, tem foto que "minha nossa", engordam demais!
    Eu não estou gorda como nesta foto não!!!!!
    Se a TV engorda 5kg, esta foto aí me engordou 10, kkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

    Me orgulho de não usar photoshop, mas se tivesse o programa e soubesse usar, talvez nesta foto usaria, deixaria só o vestido...rsrsrs.

    Sério mesmo, só postei pelo tema e pela minha bela criação.

    ResponderExcluir
  5. Querida,
    Adorei o modelito, ai se eu usasse, pediria emprestado, hahahahaha!
    Só pra descontrair. Ficou maneiro.
    Curta cada vez mais.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Verdade,
    Nada como abrir os braços, e deixar que a musica percorra cada centímetro do corpo e da alma, que voa livre ao som das melodias!
    Também adoro dançar e esquecer o mundo!

    Bom fds
    Angel

    ResponderExcluir
  7. Olá Kênia
    Todos precisamos de uma válvula de escape, pode ser dançar, pescar, ouvir música, ou qualquer outra coisa que nos faça relaxar. É muito bom fazer o que se tem vontade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Para "aquela que eu adoooooooro":

    Eu não vou te dar o mesmo ibope que dei para aquela imbecil que escreveu aquilo no anonimato, senão meu blog vai virar palhaçada, pois de gente como vocês, invejosas, o mundo está cheinho. Mas como eu sei que tu estais me acompanhando, com certeza vais voltar aqui pra ler sua resposta.

    Sabe de uma coisa, eu adoooooooro mesmo, isso me mostra o quanto eu consigo incomodar gente como você e se eu consigo, é porque estou mesmo com a bola toda. Só não sabia que estava tanto assim...

    Não vou comentar cada besteira que você falou, até porque cheinha ou mais magra o meu "sucesso" é o mesmo. As demais menos ainda, porque vejo que és alguém que não me conhece de verdade. Porém, pela carga de raiva e inveja do seu comentário, imagino de quem se trata, tens razão me considerar seu desafeto, kkkkkkkkkkkkkkkkk.

    Aproveita e dá um lida nos comentários dos posts anteriores, aí sua inveja e seu ódio triplicarão, quem sabe tu morre logo infartada...

    Por fim, quem disse minha querida que eu não tenho alguém pra chamar de "MEU"?! Sempre tive bobinha...

    Vai procurar fazer sabes bem o quê e me esqueça...você e esta legião de invejosas que eu tive o dissabor de conquistar.

    VAI DE RETO COISA RUIM...DEUS É MAIS! AFF...

    ResponderExcluir
  9. A coisa tá carregada neste blog, até um comentário que fiz sobre a foto que me deixou mais gorda fez uma "disinfiliz" (Le Vautour) vir fazer um comentário infame.

    Deixe-me pensar o que, além do meu amor próprio, incomodou desta vez...

    Será que foi o meu dom pra criar roupas bonitas e diferentes, que até então eu não tinha dito aqui?!

    Será que foram as minhas belas pernas?!

    A minha capacidade de escrever o que penso, sinto e quero?!

    As minhas tattoos lindas?!

    Tantos comentários fofos que recebi de amigos no post anterior?!?!?!

    O que será hein gente?! Ai ai, eu mereço mesmo...

    ResponderExcluir
  10. Kenia, embora eu não saiba dançar - tão desengonçada que sou - sei o bem que a dança faz. Continue sendo feliz.

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Minha linda, retorno ao teu blog para agradecer a visita e ao comentário e encontro isso? será sempre surpresas deste tamanho? Adorei o texto, lembrei de minha querida mãe, que agora, exatamente neste momento, está, com o grupo da terceira idade, que pela animação nada tem de terceira, bem distante de sua casinha dançando até a sandália furar, rsrsrs, um prazer que descobriu recentemente, depois de 10 anos de viuvés. Adorei saber também que criou sua própria marca, ja ví que é de garra, é assim que se faz, tudo de bom, muita sorte e felicidade. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. kkkkkkkkkkkkkkkkkk, minha querida, acabei de ler o comentário que deixastes em meu outro blog, o blogoritmos, rsrsrs, me desculpe, não pude deixar de rir, não se preocupe, cada pessoa tem seus talentos, e só o fato de ter esse blog maravilhoso, opinião própria, uma marca própria, acha que falta capacidade? tenho 3 blogs, trenuraeintimidade é bem pessoal, blogotecca onde posto alguns testos e sobre os livros que leio, adoro ler, e este último, blogoritmos, dedicados a assuntos da faculdade de ciência da comutação, aquela coisa esquisita que você fil é programação java e é mais que natural que você não entenda, rsrsrs alguns colegas "da faculdade" também não entendem. Mas adorei sua reação, beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Se ao me ler, um impulso te trouxer algo à mente ou ao coração, escreva...

Postagens mais visitadas deste blog

Um rascunho perdido de amor

Em alguns dias esse amor, que já mora em mim faz tempo, chega assim súbito, como brisa no rosto em um dia de calor...e é tão bom sentir. Nessa hora até parece que ele é novo, amor menino, ainda contaminado pela veemência da paixão.





[Um texto iniciado em 07/03/13...resolvi não complementá-lo, pois cada emoção deve manter a essência do seu tempo.]

Para renascer é preciso morrer!

É exatamente assim, no começo parece que te falta o ar, que algo espreme teu peito sem cessar e derrama o sumo dessa compressão nos teus olhos, compulsivamente.
Os primeiros dias passam e nada colore tua existência, só habita em ti a neblina das lembranças cinzentas, daquilo que ainda te fere...e estão em tudo que tu tentas fazer, repetindo-se como um velho vinil riscado, fazendo ondas gigantes em tua mente...das mentiras que te foram contadas, das verdades omitidas, das peças que se encaixam, da dissimulação ardil, das atitudes tão ínfimas quanto rasteiras e do presente se encontrando com as mesmas dores do passado.
É a desconstrução do que tu acreditavas, ou achava que ainda cria. É o fim da tua luta, que por mais que parecesse perdida, havia dias em que alguns sinais diziam que a guerra valeria a pena. Mas não valeu! Lutar pelo quê agora? E o mundo parece partir ao meio, mas tu não estais nem de um lado e nem do outro. Estais sem segurança, sem direção, neste abismo que se abriu a …

Oclusão

Não sei como ainda pode existir algo de ti no meu peito, depois dos inúmeros pedaços que já arranquei...embora os tenha removido pouco a pouco, como aquele procedimento bizarro para curar queimaduras extremas (as necroses são retiradas da pele, para que a regeneração ocorra de dentro pra fora).E cada parte que eu tirava à força, era uma tentativa de viver de novo, mesmo me sentindo morta.

Durante todo este tempo, esses pequenos recomeços exigiram de mim muito esforço, porque estavam inclusos em um contexto de uma aparente harmonia. E mesmo com todo meu empenho em virar de vez esta página, você estava ali, mais presente do que eu conseguia admitir até pra mim mesma. Oscilação pura...é que de fato não é tão simples esquecer alguém que te faz interagir com um lado seu, até então, totalmente desconhecido. Provei da fração mais amarga que me constitui, aquela cuja autossuficiência e autocontrole, características que sempre me acompanharam e fizeram de mim a pessoa mais confiante do mundo, f…